sexta-feira, 22 de junho de 2012

Abandonei o Android, fui para o iOS e voltei ao Android - a saga!

Olá pessoal,

   Fiquei muito tempo parado sem atualizar o blog, mais por preguiça do que por falta de tempo (embora isso tenha contribuido também).
   Durante esse tempo acabei mudando do Android (tinha um Nexus One) para o iOS (iPhone 4). Fui uma grata surpresa!
   A plataforma iOS estava bem mais madura que o Android (estava com 2.2, Froyo). Os aplicativos mais diversos saíam, primeiro, pro iOS. Beeemmmmm depois pro Android. Os equipamentos eram mais rápidos, mais bonitos, com melhor conectividade com o computador (realmente, até hoje, fico admirado com a sincronização perfeita iOS, seja iPod, iPhone ou iPad com o iTunes). Tudo é transferido, sem estresse, de modo rápido e claro. Perfeito! Deu pau no iDevice? Manda restaurar. TUDO estará lá (desde que, claro, o backup tenha sido feito)!
   Mas o tempo foi passando e comecei a achar o iPhone meio feinho... Mesma cara, atualização após atualização. O brilho da tela já não me impressionava como antes. A Samsung estava fazendo um belo trabalho nos aparelhos "top". Como usuário mais avançado, comecei a ficar de saco cheio das barreiras da Apple. Não, você não pode fazer isso com o SEU aparelho. Não, você não pode instalar tal programa ou fazer tal conexão com o SEU aparelho. Tudo bem, é para isto que existe o jailbreak... Mas o jailbreak inegavelmente resulta em atraso para atualizações. Ou seja, OU você fica com uma versão mais "customizada", mais "liberada", só que defasada OU você fica com a última versão do iOS com uma ou outra novidade só que com o aparelho "travado". E não, isso não se refere a pirataria de aplicativos. CENTENAS ou MILHARES de complementos fantásticos estão disponíveis (pagos ou gratuitos) no Cydia. Diversos repositórios contém uma infinidade de programas extremamente úteis para o usuário, seja ele avançado ou não.
   Vou dar um exemplo de coisa que me irritava no iOS: tenho muitos ebooks em PDF e em CHM. Precisaria de dois programas para lê-los no iPad, um para PDF e um para CHM. Entretanto, gosto de fazer como faço no computador: tenho uma pasta de ebooks, e lá estão todos os ebooks de todos os formatos. Quando quero ler um, vou até a pasta e clico no arquivo. Ele automaticamente pergunta-me qual aplicativo quero usar para abrí-lo. Escolho e pronto. Simples e óbvio, não? No iPad / iTunes isso não ocorre assim. Primeiro, você tem que "importar" pelo iTunes o ebook para um determinado programa no iPad. Ou seja, se no futuro você resolver trocar de programa, tem que refazer toda a sua biblioteca. Depois de importá-lo, tem que saber se o ebook tal é PDF ou CHM, porque o programa consegue enxergar apenas os livros por ele importados. Ou seja, se você usou o GoodReader para importar os livros em PDF, ele NÃO mostrará os livros em CHM, que foram importados pelo CHMate. E vice versa. Ou você sabe qual tipo de arquivo é o seu livro ou você tem que abrir um programa, procurar livro, ver que é do outro tipo e abrir o outro programa para achar o livro. Isso se for só PDF ou CHM (os mais comuns), porque pode ser que você tenha livros (ou textos) em .doc (MS Office), etc.
   O Cydia tem um programa para permitir "enxergar" as pastas e subpastas dentro do iOS. É o iFile (não confunda com o iFiles, no plural, disponível na AppStore, o qual é um lixo!). Então tá, você tem que fazer JB, instalar o iFile, que nada mais é que um programa tipo o Windows Explorer (não confunda com o Internet Explorer, lixo também!) ou Finder do Mac, utilizar um programa no PC para permitir acessar as pastas (como o excelente iFunBox), criar as pastas que você quiser, copiar seus livros, vídeos, etc, para lá e, via iFile, entrar na pasta, escolher o que quiser e mandar executar. Tá, pode parecer papo de "escovador de bits", mas é a minha opção! E isso a Apple não me dava, eu tinha que fazer por fora. No começo foi "divertido". Depois "cansativo". No final "encheu o saco, deu!". A gota d'água foi quando descobri porque DEMORAVA TANTO para abrir um livro quando eu fazia do meu jeito: o aplicativo COPIAVA o livro para o seu subdiretório, para então, abrí-lo. CADA VEZ QUE EU ABRIA O LIVRO, UMA CÓPIA ERA  FEITA. Um livro de 200MB, aberto 5 vezes, ocupava um espaço de 1GB!!!! FAIL total! Frustrante, broxante! Desanimei completamente...
   Aí comecei a pensar novamente no Android. Lembra do atraso para lançamentos de aplicativos no Android? Evoluiu muito nesse ponto. A Play Store (antigo Market) melhorou MUITO em termos de conteúdo e utilização. A plataforma ficou mais fácil de ser usada por quem não gosta/entende de customizações. Sempre achei que o Android era para usuários "avançados". Do 2.3 para frente, ficou bem mais user-friendly.
   Pesquisei, consultei usuários avançados e resolvi pegar o Galaxy X (idêntico ao Galaxy Nexus, vendido aqui como X por questões de direito). Estou muito satisfeito. Muito configurável, rápido, estável (lembro-me que o Nexus One travava muito). A integração do Android com o navegador Chrome está muito maior e muito eficaz. Bem bacana! Ainda uso o Chrome to Phone  (que já comentei antes).
   Vou só esclarecer uns pontos e desmistificar (isso mesmo, desmiStificar) sobre o iOS. SIM, ele trava!!! Aconteceu comigo um bom número de vezes, mas a Apple faz isso de um modo fantástico! Realmente travar o aparelho é uma tarefa quase hercúlea! Pouquíssimas vezes vi isso, mas acontece. Mas o aplicativo travar é bem mais fácil. O que o iOS faz? Simplesmente mata o aplicativo. Sabe quando você está escrevendo um email ou olhando uma coisa no Safari ou carregando um app qualquer e ele simplesmente "fecha" e volta para a Springboard (a tela inicial)? Pois é, travou! Deu pau! E foi fechado na marra! Outra coisa, o sistema demora até alguns segundos para abrir o programa. Aquele app que você apertou e começou com uma telinha de apresentação, toda bonitinha, é apenas para distraí-lo enquanto o sistema carrega o aplicativo. Pode durar até 5 segundos, segundo regras da Apple.
   E por que desmiStificar e não desmifiticar? Várias pessoas falam que o iOS NÃO trava! Sim, ele trava! E falam que os programas abrem NA HORA! Mentira, demoram um pouco! Engodo, mentira! Não é mito, é engodo! Assim, esclarecer uma mentira, engodo, é desmiStificar! Diferente de esclarer sobre um mito, que é  desmitificar (sem S).
   Depois vou escrever um review sobre o GX e sobre a migração entre iPhone e Android.
   Até lá...